Toleranciamento Dimensional e Geométrico - Ed. 1

OBJETIVOS

No final da ação os formandos deverão ser capazes de:

1. Compreender os princípios gerais do toleranciamento e as vantagens da sua aplicação;

2. Conhecer e identificar a terminologia e a simbologia utilizada no toleranciamento de peças segundo a ISO 1101 - Especificação Geométrica de Produtos (GPS).

DESTINATÁRIOS

Técnicos de Laboratório de empresas da Indústria Metalomecânica e sectores afins, com formação média (recomendado como habilitações académicas o 12º ano de escolaridade).

PROGRAMA

O Principio de Toleranciamento

- Considerações gerais

Referencial Normativo ISO 1101 - Geometrical product specifications (GPS) — Geometrical tolerancing — Tolerances of form, orientation, location and run-out

- Considerações gerais

- O enquadramento do referencial normativo na matriz das normas do GPS (Geometrical Product Specifications)

- Terminologia e definições

- Conceitos básicos

- Simbologia

- Tipos de tolerâncias

- Elementos de referência

- Dimensões teoricamente exatas (TED)

- Inter-relação de tolerâncias geométricas

- A cotagem nominal

- A importância do sistema de referência para o toleranciamento dimensional e geométrico

O Toleranciamento Dimensional

- Considerações gerais

- Cotas e desvios

- Sistema ISO de tolerâncias

O Toleranciamento Geométrico

- Considerações gerais

- Conceitos, definições e simbologia

- As tolerâncias de forma: rectitude, planeza, circularidade, cilindricidade, perfil de linha e forma de superfície

- As tolerâncias de orientação: paralelismo, perpendicularidade e angularidade

- As tolerâncias de posição: localização, concentricidade, coaxilidade e simetria

- As tolerâncias de batimento: circular e total

- A Inter-relação dimensão-geometria

- Os princípios de máximo e mínimo material

Casos Práticos

Nota1: No decurso da ação será realizada uma visita aos laboratórios.

Nota2: Os desenhos analisados são os disponibilizados pelos formandos ou pelo CATIM

Nota3: Inclui o Livro Desenho Técnico Básico 3, Prof. Simões Morais, 25ª edição.

ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO

Formação Presencial

METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO

Avaliação contínua, através de indicadores como participação, interesse demonstrado, capacidade de aprendizagem. Provas e/ou trabalhos propostos pelo formador e realizados no decorrer da formação.

DATAS DA FORMAÇÃO

Ed. 2 - 14 e 15 de setembro de 2017 | Braga

Ed. 1 - 11 e 12 de dezembro de 2017 | Porto

CARGA HORÁRIA | HORÁRIO | LOCAL

14 Horas | Das 09:30 às 17:30 | CATIM – Porto | CATIM - Braga

PREÇO

Sócio CATIM – 232€ |Sócio AIMMAP – 261€ | Não sócio 290€

Formação Isenta de IVA

Duração/Local: 
14 Horas | Porto
Horário: 
Laboral
Data: 
Segunda, 11 Dezembro, 2017 até Terça, 12 Dezembro, 2017

Missão

O CATIM, centro de apoio tecnológico à indústria metalomecânica é uma instituição privada de utilidade pública sem fins lucrativos, que resultou da associação de interesses, de empresas industriais e respectivas associações com organismos públicos.

Foi criado no âmbito do Decreto-Lei n.º 249/86 de 25 de Agosto, com as alterações que lhe foram introduzidas pelo D.L. 312/95 de 29 de Novembro e registado como Instituição de Utilidade Pública, conforme publicação no Diário da República n.º 15, II série de 87-01-19, na Conservatória do Registo Comercial do Porto, Matricula N.º 2, detentor do número de contribuinte n.º 501 630 473.

 A sua Missão é a de contribuir para a inovação e competitividade das indústrias nacionais da metalomecânica e sectores afins ou complementares.

 

 

Serviços

da indústria para a indústria

Catim