SPC – Statistic Process Control - Ref.ª SPC

OBJETIVOS

No final da ação os formandos deverão ser capazes de:

1. Aplicar as ferramentas da qualidade na implementação de melhorias (técnicas estatísticas, análise de problemas, etc.);

2. Resolver problemas através das técnicas de controlo estatístico do processo.

DESTINATÁRIOS

Técnicos da área da Qualidade e/ou profissionais envolvidos em projetos de melhoria de desenvolvimento do produto, processos de fabrico e qualidade do produto.

Técnicos com interesse em projetos de melhoria.

PROGRAMA

SPC – STATISTIC PROCESS CONTROL (*)

-          Noção de distribuição estatística (média, amplitude, desvio padrão, distribuição normal)

-          Ciclo de melhoria contínua do processo

-          Noção de variação de um processo

o    Fontes de variação – causas comuns e causas especiais de variação

o    Controlo do processo e capacidade do processo

-          Cartas de controlo por variáveis (construção e interpretação)

o    Cartas X-R

o    Cartas X-s

o    Cartas Medianas

o    Carta X-MR

-        Cartas pré-controlo

-        Índices de capacidade por variáveis (processo, máquina)

-        Cartas de controlo por atributos

-        Exemplos práticos da utilização das cartas de controlo

APLICAÇÃO DOS CONCEITOS EM CONTEXTO COMPUTACIONAL

-        Resolução de exercícios com recurso ao Office-Excel (utilização do Office para aplicação da ferramenta SPC/CEP nas organizações)

INTRODUÇÃO A OUTRAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE

APRESENTAÇÃO DE EXEMPLO DE SOFTWARE

(*) Controlo Estatístico do Processo de acordo com o Manual de Referência de SPC – 2ª Edição, julho /2005 – AIAG

Nota: Para a realização de exercícios é necessária a utilização de um computador portátil com instalação de Office/Excel ou equivalente.

Duração/Local: 
14 Horas | Porto
Horário: 
Laboral
Data: 
Terça, 11 Dezembro, 2018 até Quarta, 12 Dezembro, 2018

Missão

O CATIM, centro de apoio tecnológico à indústria metalomecânica é uma instituição privada de utilidade pública sem fins lucrativos, que resultou da associação de interesses, de empresas industriais e respectivas associações com organismos públicos.

Foi criado no âmbito do Decreto-Lei n.º 249/86 de 25 de Agosto, com as alterações que lhe foram introduzidas pelo D.L. 312/95 de 29 de Novembro e registado como Instituição de Utilidade Pública, conforme publicação no Diário da República n.º 15, II série de 87-01-19, na Conservatória do Registo Comercial do Porto, Matricula N.º 2, detentor do número de contribuinte n.º 501 630 473.

 A sua Missão é a de contribuir para a inovação e competitividade das indústrias nacionais da metalomecânica e sectores afins ou complementares.

 

 

Serviços

da indústria para a indústria

Catim